80% das intercorrências não precisam passar por prontos-socorros

O serviço de triagem clínica e orientações de saúde, AxisLine, recebe uma média de 2.700 ligações por mês e faz 250 atendimentos domiciliares emergenciais mensais

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Novembro de 2015 Edição do Mês

Axismed


 

O AxisLine – programa de atendimento telefônico, para o esclarecimento de  dúvidas ou para triagem de queixas de saúde – está disponível para mais de 700 mil usuários no Brasil. No mundo, mais de 80 milhões de pessoas têm acesso a programas iguais ou muito similares. A AxisMed, provedora do AxisLine no país, identificou que 80% das queixas são solucionadas sem que o participante precise procurar um pronto-socorro. Do total dos 25.263 atendimentos desde seu lançamento, 60% dos casos foram revertidos por orientação telefônica e 20% por atendimento domiciliar de emergência. 

A teleorientação em saúde começa a destacar-se no Brasil. Atualmente, o AxisLine registra cerca de 2.700 ligações e 250 atendimentos domiciliares de emergência por mês. Os casos de intercorrência são acompanhados pelo serviço e recebem, em média, cinco contatos de acompanhamento. O serviço é o mesmo sistema utilizado em todo sistema público de saúde do Reino Unido. Lá, são realizados cerca de 500 mil atendimentos por mês, com índice de satisfação de 98%. Outros países, como Canadá e Portugal, também já adotaram esse mesmo sistema para programas similares ao inglês.

As principais queixas registradas são: sinais de hiper/hipoglicemia, hiper/hipotensão, dor de cabeça, dor nas costas, gripe ou resfriado, náuseas e vômitos, febre e dor no peito. O AxisLine também esclarece dúvidas gerais de saúde, sobre medicamentos, patologias diversas, exames e orientações de preparo e informações sobre especialidades médicas, para identificar qual médico deve ser acionado de acordo com o sintoma.

“O aumento na adesão e a extensão do atendimento aos dependentes do titular do plano de saúde são os primeiros passos para tornar o AxisLine uma solução a ser comercializada diretamente para o usuário final”, comenta Fábio de Souza Abreu, diretor executivo da AxisMed, maior empresa de gestão de saúde populacional do Brasil, responsável pela comercialização do AxisLine, atualmente voltado para operadoras de saúde e para o mercado corporativo.

Segundo Abreu, todas as pessoas podem beneficiar-se do programa. Entretanto, doentes crônicos com quadros instáveis, gestantes, pessoas que cuidam de crianças ou de idosos são os que mais utilizam o serviço. “É uma tendência e ao mesmo tempo uma necessidade. O mundo está cada vez mais complexo. As pessoas têm dificuldades cada vez maiores para resolver suas queixas de saúde e, por isso, vão aos prontos-socorros, que estão se tornando uma espécie de “one stop shop” de saúde, o que não é uma situação normal nem ideal”, afirma Abreu.

“Sendo um serviço 24x7, sempre disponível e altamente confiável, a população tem uma orientação segura e que ajuda os médicos”, complementa Abreu. Além disso, não é novidade que o envelhecimento populacional, a explosão das doenças crônicas e o sedentarismo, entre outros fatores, estão onerando o sistema de saúde e as empresas, que, aliás, são as maiores contratantes de planos de saúde. “A alternativa para essa situação passa, necessariamente, pelo incentivo à cultura de prevenção e ao autogerenciamento das nossas condições clínicas”, aponta Abreu.

 

Notícias Relacionadas