Novos modelos de atenção ao parto

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está buscando experiências bem-sucedidas no estímulo ao parto normal que possam se tornar modelos a serem adotados na saúde suplementar

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Novembro de 2015 Edição do Mês

ANS


Jacqueline Torres, gerente executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores, visita sala de parto do hospital

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está buscando experiências bem-sucedidas no estímulo ao parto normal que possam se tornar modelos a serem adotados na saúde suplementar. Com esse objetivo, a gerente executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores (GERAR/DIDES), Jacqueline Torres, visitou o Sofia Feldman, um hospital público de Belo Horizonte que é referência pelas boas práticas na área de atenção ao parto e nascimento. A visita ao hospital é parte do acordo de cooperação técnica coordenado pela ANS com o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI). Representantes dessas duas instituições também estiveram presentes na visita ao hospital Sofia Feldman.

O hospital segue diretrizes do Ministério da Saúde como atenção ao parto por equipes de plantão com enfermeiras obstetras e médicos, estímulo à participação de acompanhante, oferta de medidas não farmacológicas para alívio da dor e atenção ao pré-parto, parto e pós-parto em um único ambiente (nos quartos PPP).

A ideia é que os hospitais credenciados aos planos de saúde promovam uma mudança nos modelos de atenção ao parto, baseados em evidências científicas e visando maior qualidade. O impacto a longo prazo é que o nascimento mais saudável diminua as taxas de cesarianas sem indicação clínica, as internações em UTIs neonatais e as taxas de prematuridade e aumente a satisfação das mulheres com a atenção recebida. 

Acordo de Cooperação Técnica

O Acordo prevê a implantação de estratégias de estímulo ao parto normal em 25 hospitais-pilotos, que poderão participar dessa iniciativa voluntariamente e receberão apoio da ANS, IHI e Einstein para implantação deste novo modelo de atenção ao parto. Jacqueline Torres esclareceu que “Os hospitais participantes do piloto terão um papel de protagonismo nesta iniciativa, já que contribuirão para a elaboração e o refinamento de novos modelos de atenção ao parto, os quais, futuramente, embasarão a elaboração de estratégias para o setor suplementar como um todo”.  Serão disponibilizadas vagas para cada capital do Sul e Sudeste e também algumas capitais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Em breve, a ANS irá apresentar a metodologia e os requisitos para inscrição dos hospitais.

Saiba mais sobre o acordo de cooperação técnica aqui.

Saiba mais sobre as novas regras de estímulo ao parto normal e para a redução de cesarianas desnecessárias aqui

 

Notícias Relacionadas